Governo federal irá criar centros especializados
para atender crianças com microcefalia
Primeira unidade será instalada em Campina Grande (PB), que possui grande concentração de casos da doença

Brasília – Ofertar atendimento especializado e apoio às famílias de crianças diagnosticadas com microcefalia decorrente do zika vírus. Este é o objetivo dos centros especializados que o governo federal irá criar em áreas com maior incidência da doença. O assunto foi discutido pelo governo federal nesta quarta-feira (4), em Brasília, em reunião do Comitê Gestor do Programa Criança Feliz, que é coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). 

A intenção do governo é implementar Centros-Dia especializados para atender de forma continuada crianças vítimas da doença.  Os Centros-Dia são unidades públicas especializadas no atendimento a jovens e adultos com deficiência, bem como de suas famílias. A primeira unidade será instalada em Campina Grande (PB), que concentra grande parte dos casos.  

“É uma rede integrada que está sendo montada. Essas crianças não podem ficar abandonadas, sem o atendimento especializado. Por isso, a necessidade de criar unidades mais sofisticadas dos Centros-Dia”, afirmou o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra. 

O encontro do Comitê Gestor reuniu representantes do MDSA, Ministério da Justiça e Cidadania, Ministério da Saúde, Ministério da Educação, Ministério da Cultura e Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Na reunião, foram apresentadas diferentes ações que irão compor o atendimento das crianças. O Centro-Dia contará com fisioterapeutas, psicólogos, neurologistas e ortopedistas, entre outras especialidades, além de atividades voltadas à inclusão das crianças com microcefalia. 

Criança Feliz – O Programa Criança Feliz é voltado ao acompanhamento de crianças de 0 a 3 anos do Bolsa Família e as de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), incluindo as vítimas de microcefalia por zika vírus. As famílias serão acompanhadas por profissionais capacitados, que farão visitas domiciliares periódicas para estimular o desenvolvimento infantil. “O visitador da primeira infância vai ter uma capacitação especial para acompanhar essas crianças com necessidades especiais em casa também”, garantiu Terra. 

O MDSA realizará no início deste ano a Primeira Oficina de Alinhamento do Programa Criança Feliz. O encontro, em Brasília, reunirá integrantes do Comitê Gestor dos 26 estados e do Distrito Federal e representantes das gestões estaduais. O objetivo é apresentar o papel de cada área do programa – saúde, educação, justiça, cultura e assistência social – e as primeiras ações de operacionalização do Criança Feliz.