Your browser does not support JavaScript! 
0800 707 2003
0800 707 2003

Ir para o conteúdo. Ir para a navegação

Imagem
Home > Assistência Social > Assistência Social > Cadernos > O CRAS que temos, o CRAS que queremos – Volume 1
Imagem

O CRAS que temos, o CRAS que queremos – Volume 1

27/02/2012 15:50

Orientações técnicas para Metas de Desenvolvimento dos CRAS - Período 2010/2011. Tem o intuito de colaborar para a qualificação do PAIF, além de reforçar a compreensão de que a oferta de serviços depende de planejamento, organização e gestão

O CRAS que temos, o CRAS que queremos – Volume 1
Título: O CRAS que temos, o CRAS que queremos – Volume 1
Tipo de publicação: Orientações técnicas
Data: Abril de 2011
Autor: Bruna D’Avilla, Clara Sá, Cristiana Gonçalves, Dulcelena Martins, Elyria Bonetti, José Cruz, Karoline Aires Ferreira, Keli Andrade, Maria do Socorro Tabosa, Priscilla Maia, Rosario Ferreira e Selaide Camargo
Organizadores: Aidê Almeida, Maria do Socorro Tabosa, Keli Andrade, Priscilla Maia, Cristiana Gonçalves Oliveira, Simone Albuquerque
Resumo: Orientações técnicas para Metas de Desenvolvimento dos CRAS - Período 2010/2011. Tem o intuito de colaborar para a qualificação do PAIF, além de reforçar a compreensão de que a oferta de serviços depende de planejamento, organização e gestão.
Referência Bibliográfica:
Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT N BR 9050: 2004. www.abnt.org.br.
_______CASTRO, Flavio José Rodrigues de. CRAS: a melhoria da estrutura física para o aprimoramento dos serviços: orientação para gestores e projetistas municipais – Brasília, DF: M DS, Secretaria Nacional de Assistencia Social, 2009. 56p.
BRASIL. M inistério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. A M elhoria da Estrutura Física para o Aprimoramento dos Serviços”. 1 ed. Brasília: M DS, 2009; Página 40.
BRASIL. Comissão I ntergestores Tripartite. Protocolo de Gestão I ntegrada de Serviços, Benefícios e Transferências de Renda no âmbito do Sistema Único de Assistência Social - SUAS (Resolução N º 07, de 10 de setembro de 2009). Brasília, MDS: 2009.
BRASIL. Comissão I ntergestores Tripartite. Resolução nº 01 de 18/04/07.
BRASIL. Comissão I ntergestores Tripartite. Resolução nº05 de 06/12/07.
BRASIL. Comissão I ntergestores Tripartite. Resolução nº 06 de 01/07/08.
BRASIL. Comissão I ntergestores Tripartite. Resolução nº 07 de 19/08/08.
BRASIL. Comissão I ntergestores Tripartite. Resolução n° 05 de 03/05/10.
BRASIL. Comissão I ntergestores Tripartite. Resolução n° 08 de 14/07/10.
BRASIL. Conselho N acional de Assistência Social. Tipificação N acional de Serviços
Socioassistenciais (Resolução N º 109, de 11 de novembro de 2009). Brasília,MDS: 2009.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988
BRASIL. Decreto nº 1.605, de 25/08/95.
BRASIL. Decreto n° 3.877, de 24/07/01.
BRASIL. Decreto nº 5.085, de 19/05/04
BRASIL. Decreto n° 5.209, de 17/09/04.
BRASIL. Decreto n°5.296, de 02/12/04.
BRASIL. Decreto n°6.214, de 26/09/2007.
BRASIL. Decreto nº 6.307, de 14/12/07.
BRASIL. Decreto n° 6.564, de 12/09/2008.
BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente:
Lei 8.069/90, de 13 de Julho de 1990. Brasília: Senado Federal, 1990
BRASIL. Estatuto do I doso. Lei 10.741, de 1.º de outubro de 2003. Senado Federal, 2003.
BRASIL. Lei nº 4.320, de 1964.
BRASIL. Lei nº 8.742, de 1993.
BRASIL. Lei n° 10.048, de 2000.
BRASIL. Lei nº 10.098, de 2000.
BRASIL. Lei n° 10.836, de 2004.
BRASIL. Lei Orgânica de Assistência Social: Lei 8.742, de 7 de dezembro de 1993.
Brasília: Senado Federal, 1993.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social (NOB-SUAS). Brasília: MDS, 2005 (Resolução nº130 do Conselho N acional de Assistencia Social).
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Norma Operacional Básica de Recursos Humanos do Sistema Único de Assistência Social (NOB-RH/Suas). Brasília: M DS, 2007.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas: Centro de Referência de Assistência Social – CRAS. 1 ed. Brasília: MDS, 2009.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política Nacional de Assistência Social (PNAS). Norma Operacional Básica (NOB/Suas). Brasília: MDS, 2005.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Portaria nº44 de 19/02/2009.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Monitoramento SUAS - CENSO SUAS/CRAS 2010.
BRASIL. Nota Técnica “Orientações referentes à aplicação e reprogramação dos recursos financeiros repassados pelo Fundo N acional de Assistência Social”, disponível no site do M DS: http://www.mds.gov.br/assistenciasocial
BRASIL. Portaria Interministerial nº 18, de 24/04/07

Contatos para solicitação da publicação impressa: 3433-8806

Clique aqui para fazer download do arquivo

Ações do documento
Linha

Sistema público que organiza os serviços socioassistenciais no Brasil, a partir de um modelo de gestão participativa e descentralizada. Ele articula os esforços e recursos das três esferas de governo para a execução e o financiamento da Política Nacional de Assistência Social (PNAS).

Imagem

A Rede Suas dá suporte a operação, financiamento e controle social do Suas e garante transparência à gestão da informação.

Imagem

O controle social no Suas ocorre em espaços como conselhos e conferências, com a participação de representações governamentais e da sociedade civil. Os conselhos definem normas, acompanham e fiscalizam os serviços e as conferências avaliam e definem diretrizes para a política.

Imagem

Proteção Básica

Atua na prevenção dos riscos por meio do desenvolvimento de potencialidades e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários.

Imagem

Proteção Especial

Destinada a indivíduos em situação de risco, cujos direitos tenham sido violados ou ameaçados.

Imagem

Benefícios Assistenciais

Atuam de forma articulada às demais garantias da assistência social, promovendo aos cidadãos acesso e inclusão nos serviços.

Imagem

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil

Promove ações visando à retirada de crianças e adolescentes das práticas de trabalho infantil.

Imagem

Como são providos, distribuídos e aplicados os recursos necessários para a execução da Política Nacional de Assistência Social (PNAS).

Busca o reconhecimento e valorização do trabalhador em todas as suas dimensões, materializando a rede de promoção social.

MDS.gov.br
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
Licitaçs e Contratos Certificaçço Editais Sesan Destaques Selo Transparêia Púa
Imagem